Produção de conteúdo para Oculus GearVR

1415837735053_wps_5_samsungs_s_360_degree_vr_

Dica 1: Obter o software MediaInfo em https://mediaarea.net/en/MediaInfo

Pra que? apenas porque é um programinha que permite ver todas as informações técnicas de um arquivo de video e permite saber que tipo de codec foi usado, taxa de compressão, fps, etc

Bom para analisar e testar vários formatos de vídeos.

Dica 2: Um formato legal para usar para gerar arquivos pra GearVR e CardBoard:

  • h.264 Baseline profile, level 4.2
  • Resolução do vídeo 3840×2160@30 (20 – 30Mbps bitrate)
  • serve tanto para  Cardboard e Gear VR!

Está usando o codec h.264 MP4. No entanto, a chave está no perfil (profile) e nível (level) que ele usa. Encontramos essas configurações muitas vezes em nossas ferramentas de codificação, mas geralmente não prestamos muita atenção a elas. Agora sabemos melhor

Baseline Profile é usado principalmente para descodificadores com poder de computação limitado, como aplicativos móveis. O Google também recomenda o baseline profile  para reprodução de vídeo h.264 no Android. Isso faz com que seja o ideal  VR  no celular, como o Google Cardboard e Gear VR.

Level descreve a resolução máxima eo bitrate aceitável. Cada dispositivo suporta vídeos até um determinado nível h.264. Por exemplo, os iPhones só suportam vídeos até ao nível 3.1 (1920 × 1080 @ 30 é o máximo absoluto para o iPhone 5 .. não tão boa para a reprodução de vídeo VR), enquanto a maioria dos telefones Android vai rodar vídeos de nível 4.2 muito bem.

A resolução de 3840 × 2160 é o padrão oficial Ultra HD (UHD) para vídeos de 4k, também conhecido como 2160p. Esta resolução tem uma relação de aspecto de 16: 9, não a relação de aspecto 1: 1 que aparece às vezes  em alguns softwares para VR estereoscópico. Isso significa que a resolução de vídeo é comprimida na direção vertical. Em outras palavras, esses vídeos têm mais densidade de pixels no eixo horizontal do que no eixo vertical, e assim tudo na cena parece curto e gordo. O diagrama a seguir pode tornar as coisas mais claras:

resolutions-diagram

O engraçado é que quando você exibe este vídeo esticado / comprimido no interior de uma esfera para reprodução em um aplicativo VR 360 , tudo é empurrado de volta para as proporções corretas novamente! E usando uma resolução de 3840 × 2160 em vez de 2048 × 2048 (o que inicialmente utilizado),  obtem-se  97% mais pixels para exibir! Uma enorme melhoria!

Surpreendentemente, muitos aplicativos  VR permitem usar essa resolução UHD , algo que achamos que não seria possível! No entanto, um telefone Nexus 5 de 2 anos de idade é mais do que capaz de reproduzir sem problemas esses vídeos de 4k, resultando em uma experiência incrível, mesmo quando se usa um oculus genérico. A desvantagem desta resolução é que há um limite de 30 quadros por segundo. Taxas de quadros mais altas simplesmente não serão reproduzidas nos dispositivos VR (móveis) atuais nessas resoluções.

Dica 3: em alguns casos pode-se usar o novo formato h265 ao invés do h264.

Vamos pegar por exemplo um arquivo de 9 minutos de duração em h265 :

Enquanto o vídeo é 9 minutos de duração, super alta resolução, bem como 60 quadros por segundo, o tamanho do arquivo é “apenas” 825MB. Usando o aplicativo Mediainfo  se pegar esse arquivo vamos ver  que isso é devido , à primeira vista, a uma  taxa de bits bastante baixa de 12.3Mbps. Não deixe que este bitrate engane-o, porque em vez de usar o codec comum h.264, o arquivo com o codec h.265 / HEVC mais poderoso,  lhe dá a mesma qualidade de vídeo em metade da taxa de bits.

Assim, o seu vídeo de 12.3Mbps h.265 é comparável em qualidade a um vídeo 24.6Mbps h.264, resultando em metade do tamanho do arquivo! Um benefício adicional do h.265 é que ele suporta resoluções mais altas, bitrates e quadros por segundo que h.264, tornando-se um candidato ideal para futuros aplicativos de vídeo VR. A única desvantagem importante é que quase não há dispositivos capazes de reproduzir vídeos h.265, mas felizmente os aparelhos Samsung Gear VR são! (Até 3840 × 2160 @ 30 por enquanto)

Então resumindo temos as melhores opções abaixo:

Platform Codec Resolution FPS Avg. bitrate
Gear VR h.265 3840×2160 30 10 – 20Mbps
Cardboard Android h.264 (Baseline, level 4.2) 3840×2160 30 20 – 30Mbps
Cardboard iOS h.264 (Baseline, level 3.1) 1920×1080 30 10 – 14Mbps
Oculus Rift h.265 / h.264 4096×4096 60 40 – 60Mbps

Então, usamos h.265 para Gear VR para obter um equilíbrio ideal entre a qualidade de vídeo e o tamanho do arquivo. Se você deseja reproduzir seus vídeos em 60fps, a Samsung recomenda 2048 × 2048.

Para Android Cardboard , podemos usar as configurações de 3840 x 2160 para a resolução mais alta possível. No entanto, se você está preocupado com o tamanho do arquivo, você acha que a experiência Cardboard é razoável de qualquer maneira, ou se você quiser compatibilidade máxima com smartphones mais antigos, você pode sempre reduzir a resolução para 2k ou mesmo 1080p.

Como mencionado anteriormente, iOS colocou restrições de hardware no tamanho máximo de vídeo que você pode reproduzir em seus dispositivos, que é definido como 1080p a 30 fps para iPhone 5 e 1080p a 60fps para o iPhone 6. Por causa desta resolução terrivelmente baixa e porque o desenvolvimento para o  IOS é um processo tortuoso, eu não sou fã do iphone para VR e prefiro não usa-lo nunca.

Para Oculus RIFT é difícil determinar quais configurações usar, porque o computador de cada um é  diferente. No entanto, com base nos requisitos mínimos do sistema Oculus, em teoria será possível reproduzir vídeos de alta resolução e alta taxa de quadros h.265 sem problemas, desde que os codecs corretos estejam instalados no sistema e um poderoso software de  vídeo 360 seja usado. Por enquanto, porém, usamos a resolução h.264 e UHD para compatibilidade máxima, pois até o meu I7 de 5 geração tem dificuldade em reproduzir arquivos h.265.

Dica 4: software

Mas que ferramentas você precisa para codificar seus vídeos para essas resoluções e codecs? Começamos com o MPEG Streamclip, Adobe Premiere CC 2017 , e finalmente o Handbrake. E a ferramenta  de codificação mais confiável, mais poderosa, porém mais  chatinha de usar alguma vez criada: FFmpeg!

 

Mas se você quer um especialista ou fazer uma parceira na criação de contéudo para Oculus VR então ligue para mim : 11-97254-1644   temos também equipamentos e simuladores.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.