A História do Adobe Director

O software Adobe Director tem uma longa história na indústria do software. O site Lingoworkshop publicou , um tempo atrás, um pouco desta história. É interessante conhecer..

Em 1984 um grupo formado por Jay Fenton, Marc Canter e Mark Pierce criaram uma empresa chamada de MacroMind. Eles eram ligados à música e as artes e se entitulavam uma banda de rock and roll e software. Em 1985 criaram o Videoworks , que viria mais tarde a dar origem ao Director.

Eles assinaram um termo de licença com a Apple para distribuir uma espécie de guia interativo junto com os computadores Macintosh que estavam sendo lançados.

Em 1987 a empresa do grupo , já com um outro programador na equipe ,  Dan Sadowskil,  lança o VideoWorks 2. Na verdade o Mark Pierce saiu em 1986 e acabou ajudando a lançar o lendário jogo Dark Castle para o Macintosh.

Em 1988 o ‘VideoWorks Interactive Pro’ torna-se  Director 1.0. John Thompson e Erik Neumann criam a engine básica do Lingo. Com o Director 2.0 (1990) o Lingo começa a dar os seus primeiros passos..

Em 1992 o Director é lançado . E nessa época o Director ainda era usado somente no Macintosh mas inicia-se um processo de converter os arquivos para rodar no Windows 3.1. Em 1993, com a versão 3.1 , o Macromind Director  passa a chamar Macromedia Director e ganha suporte para a tecnologia Quicktime.

Um fato interessante é que a primeira tentativa de fazer rodar o Director no Windows foi um fracasso , o programa estava mais cheio de furos que um queijo suiço. Nessa mesma época o  Windows começava a dominar o mundo e o Mac estava em franca decadência. Daí surgiram David Jennings e Greggy Yachuk que corrigiram quase todos os bugs do Director no Windows e praticamente salvaram o software da morte.

Em 1994 é lançado o Director 4.0 e pela primeira vez os arquivos fonte podiam ser usados em ambas as plataformas: Windows e Mac. Nesta mesma versão, o Lingo começa a ganhar recursos de peso como listas e parent scripts além de plugins na forma de XObjs and XCMDs.

Em dezembro de 1995 , Shockwave fez a sua primeira aparição ao público. Na época oferecia vantagens de rodar animações de forma suave e com mais qualidade (para a época).

Em 1996 , Director 5 é lançado e também a opção de usar os xtras. Nesse meio tempo, uma compania desconhecida, chamada FutureWave,  cria o FutureSplash Animator,  que foi oferecido a Adobe e a Fractal Design  e ambas recusaram. A Macromedia , por outro lado, comprou logo foi a empresa e daí deu origem ao Flash 1.0.

Em 1997 o Director 6 foi lançado e aumentou mais ainda o poder de fogo e melhorou o Shockwave. Logo em seguida lança a versão 6.5 para corrigir bugs causados pelo Quicktime 3.

Em 1998 é a vez do Director 7. Trataram de incluir uma grande quantidade de novos recursos mas reclamaram que estava mais lento e com mais bugs .Nesta mesma época começa-se a voltar o foco para a Internet, em 1999 o Flash começa a se expandir..

Em 2000  é lançado o Director 8, não tem tantos recursos novas mas corrige alguns bugs e aprimora-se a sua interface.

A versão 8.5 , apesar do nome,  trata-se de um dos melhores upgrades de todos os tempos. Compatível com Flash 5 ele também recebe toda a gama de recursos 3d , algo  que , na minha opinião , era bem avançado para aquela época. Nem todo mundo tinha uma placa de vídeo com suporte a 3d.

Em 2002 é lançado o Director MX (versão 9.0) compatível com o Flash 6. Nessa época o Flash começa a crescer assustadoramente na Internet.

Começo de 2004 , Director MX 2004 é introduzido e com ele a opção de usar o Javascript. Talvez fosse uma estratégia para chamar a atenção dos programadores de Flash , que tinha uma linguagem semelhante. A estratégia não deu certo pois quase todos os exemplos e tutoriais  do Director que existiam na Internet usavam o Lingo, além do mais, o próprio help do Director explicava muito pouco sobre o Javascript.

Em 18 de Abril de 2005 a Adobe compra a Macromedia e todos os seus produtos , incluindo o Flash,  por 3.4 bilhões de dólares. A partir daí o Director some do mapa (continua a ser vendido a versão 2004.) e depois de boatos sobre a sua morte retorna em março de 2008 como Adobe Director 11.

O Adobe Director 11 trouxe muitos poucos recursos novos mas foi totalmente reconstruído para funcionar com Unicode e com o Windows Vista. Com isto os antigos xtras não funcionam mais a não ser que sejam recompilados. A equipe de desenvolvimento do Director está sediada atualmente na Índia.

Agora resta esperar o próximo capitulo do diário da vida do Director.  Existem boatos que a Adobe pode estar preparando surpresas para a versão 12.. Vamos esperar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Director, interativa, Multimidia, Programação, Tecnologia e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s